10 aplicações de console imperdíveis para a comunidade Linux

  • 2

10 aplicações de console imperdíveis para a comunidade Linux

Category : Clube dos 10 , Linux

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io Made with Flare More Info'> 0 Flares ×

Antes de listar as 10 aplicações eu não posso deixar de demonstrar a minha frustração ao saber da notícia que o Doutor Con Kolivas encerrou o seu trabalho voluntário para a comunidade linux.

Esse incrível australiano usava parte de seu tempo livre para contribuir para o desenvolvimento do linux para Desktop. Ao invés de só reclamar, ele resolveu colocar a mão na massa e alterar os fontes do kernel para melhorar a sua performance em sua máquina.

Daí surgiu um novo tipo de kernel, otimizado para desktop, que foi idolatrado por diversos usuários; eu mesmo estou usando um nesse momento (2.6.21-ck).

Suas alterações não foram tão bem recebidas pelos desenvolvedores do kernel do linux, pois o seu desenvolvimento ainda é totalmente voltado para os servidores.

Em sua mais recente entrevista (que foi publicada aqui em inglês e aqui traduzida) ele comenta alguns casos, como o de uma pessoa que reclamava de não conseguir reproduzir o problema de performance que ele apontava kernel (essa pessoa tinha “apenas” um quad-CPU com 4GB de RAM).

Para finalizar ele fecha com a frase: “O Linux está lotado com ‘lixo de empresas’ que faz com que ele funcione muito mal em PCs para desktop”.

Bom, depois do desabafo, vamos às aplicações:

1. Editor de textos: vim – por mais arcaico que pareça esse editor, ele resolve muitos problemas para editar scripts em servidores. Além disso ele possui um jeito otimizado de editar arquivos grandes, já enfrentei problemas onde ele foi o único editor que abriu o arquivo sem travar a máquina.

2. Gerenciador de arquivos: mc – inspirado no Norton Commander, esse excelente gerenciador de arquivos permite que você facilmente copie e crie arquivos, diretórios, faça FTP, abra arquivos compactados, entre diversas outras opções. Tudo isso com teclas de atalho e usando o mouse.

3. Reprodutor de MP3: MOC – um reprodutor bem leve e poderoso, reproduz listas, controla o volume e não consome quase nada na memória.

4. Cliente FTP: NcFTP – um excelente cliente de FTP que tem uma lista de favoritos, além de oferecer um conjunto de comandos bem fácil de usar para mandar/baixar arquivos.

5. Conversor de imagens:Image Magik – entre as milhares de opções existentes, as que eu mais uso são: converter várias imagens de sua máquina fotográfica para um tamanho fixo e colocar uma legenda em um grupo de imagens.

6. Scanner de portas:NMap – para verificar as portas liberadas de algum servidor ou simplesmente testar localmente se um processo está no ar em determinada porta.

7. Comandos parecidos com DOS: mtools – para quem não se convenceu que os comandos do UNIX são diferentes dos do DOS/Windows, essa biblioteca é a solução, basta digitar o comando colocando a letra M antes. Exemplos: mdir, mcopy, mformat.

8. Auxiliar de download: prozilla – permite baixar o arquivo mais rápido, dividindo o download em 4 partes.

9 .Web browser: links – com ele dá para navegar na internet usando o mouse, usando cookies e javascript.

10. Tráfego de rede: iptraf – verifica o tráfego da rede em todos as suas interfaces de rede (eth), dá para ver tudo que está entrando/saindo, colocar filtros e ordenar a saída, para listar , por exemplo, qual a porta TCP/IP que está sendo mais usada.
Exemplo: iptraf -i eth1 -s eth1

Esqueci de alguma? Faça um comentário!

Fernando Boaglio, para a comunidade. =)


About Author

Fernando Boaglio

???

2 Comments

Leonardo F. Fontenelle

30/julho/2007 at 1:04 am

Só confirmando, realmente o Vim é fantástico para abrir arquivos grandes.

Quanto ao links, existem o links 2, que é a continuação do desenvolvimento do links, e o elinks, uma bifurcação (“fork”) do links. Ambos tem algum suporte a ECMAScript, mas o links 2 consegue mostrar as páginas em modo gráfico, enquanto o elinks é extensível com PERL, Lua e Guile. Na minha experiência, o elinks lida melhor com tabelas, CSS e “frames” que o links2, mas não uso este há muito tempo.

Enquanto o links2 pode exibir as páginas em modo gráfico, o elinks tem suporte parcial a ECMAScript, CSS

Leonardo F. Fontenelle

30/julho/2007 at 1:07 am

Acredito que o artigo não pode prescindir de uma menção ao screen 🙂

Leave a Reply

Quero saber mais sobre…

Inscreva-se para receber as novidades!

Arquivos

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×